segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Novidades do coração

Eu tenho um grande amigo. E adoro o cara exatamente como ele é: totalmente confuso com questões do coração, atrapalhado em seus romances de folhetim e também por vezes, um pouco ausente, dedicado ao desejo intenso de ser feliz. Mas tão buonna gente!

Vira e mexe vamos ao Veloso. E entre uma coxinha e um chopp, batemos longos papos. Ele, sempre desejando entender os próprios passos e querendo ouvir e ouvir... A última dele é pra lá de tragicômica.

Brilho nos olhos = Amor?
Havia dois anos (ou mais?) que ele estava namorando uma garota muito legal. Ela chegou a se mudar para a casa dele, depois voltou a morar sozinha. E o namoro continuou. Mas a coisa, que já não estava caminhando bem por parte dele, piorou.

O rapaz continuava lá, do ladinho, sendo um querido namorado, porém, com a cabeça em qualquer outro lugar, menos no namoro. As saídas com os amigos também se intensificaram, assim como as nossas saídas e os pensamentos mais difusos, digamos, sobre o namoro.

Certo dia desmancharam. Depois de muita conversa e desencontros, voltaram. E assim ficaram por mais um bom tempo.

Durante esse período, conversamos algumas poucas vezes. Ele não gostava daquela situação. E eu disse que há tempos não via o olho dele brilhar de verdade por uma mulher...

O rapaz levou aquela informação para casa e foi muito legal o que aconteceu: dias depois, recebi um email com a seguinte mensagem: "Tudo acabado. Estou triste, mas quero ter aquele brilho no olhar de novo."

Para mim, essa novidade do coração foi muito legal! Ele conseguiu ser honesto com ele mesmo, deixou a namorada dele ir - afinal, ela estava presa a um relacionamento furado! Super sacanagem, né? -, e está buscando, com calma, sem desespero ou necessidade de "estar com alguém", um relacionamento legal.

Como é difícil para tantos homens e mulheres se libertarem de um relacionamento falido né? Se um namoro já é complicado, imaginem uma relação de muitos anos, com filhos? Deve ser uma doideira... E já falamos muito sobre isso!

Eu fico feliz com mais esse passo. Parece pouco, mas esse desapego vai abrir novos caminhos para ele e para ela também! Felicidades aos desnamorados! E muito amor!

Um cheiro,
Zoe

15 comentários:

  1. queridas, acho que sei EXATAMENTE o que é isso. reitero a vocês o convite para acessar meu blog. Mandem e-mail para niracv@gmail.com para que eu possa lhes enviar um convite pois o acesso agora é restrito, ok? Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Nossa Zoe querida.... você falou tudo! Realmente às vezes é tão difícil deixar ir! As pessoas estão infelizes, a relação já não funciona mais, mas parece que precisamos esgotar todas as possibilidades de sofrimento! Pra nós mesmos! Adorei a metáfora do brilho no olhar! Amor legal é isso, dá brilho no olhar mesmo depois de 10 anos de casado! Se o olhar só brilha com lágrimas ... deixa ir! Ser sozinha na sua legitimidade é melhor que acompanhada de uma relação acabada que está te trazendo dor e deixando sua vida opaca!
    beijocas,
    Mari

    ResponderEliminar
  3. Sei exatamente o que vc está falando!
    Separação é sempre difícil!
    Bjs
    Dani

    ResponderEliminar
  4. Muito bom! Acho que esse texto tem muito a ver com o texto do Eugenio Mussak, sobre a racionalidade do amor, publicado na revista Vida Simples deste mês. Basicamente, ele fala de intençao e ação. Gostei da conclusão:

    "Qual é a intenção dessas pessoas que não colocam seu companheiro como algo importante em suas vidas? Que fruto espera colher um homem de uma árvore ressequida pela indiferença? Por que continua uma mulher ao lado de um homem a quem não dedica sequer suas melhores palavras?

    O que pode fazer a razão em favor do amor é providenciar uma coleção de pequenos atos que, somados, conferem valor à relação e garantem sua longevidade. Não há nada mais sem graça que uma relação que se acomodou. Chega o fim, e é triste constatar que a imensa maioria dos casamentos desfeitos é vítima da rotina, mas esta não tem nada a ver com coisas que temos que fazer todos os dias, como levantar cedo, ir trabalhar, buscar as crianças na escola ou comprar pão na padaria da esquina. Essas são ações corriqueiras, normais, necessárias.

    A rotina que mata o amor é a rotina do que não se faz. Da declaração de amor que deixa de ser feita, do elogio economizado à roupa simples do dia a dia, do sorriso sonegado ao acordar, da palavra de carinho roubada à despedida, da comemoração não feita em qualquer conquista, do boa noite seco, sem um beijo, antes de dormir.

    O amor não se sustenta sem a intenção de amar e sem a ação pequena, mas constante, de alegrar o outro com sua presença. Acredito que o amor é uma grandeza que não se sustenta com o tempo. Ou aumenta ou diminui. Qual é, afinal, sua intenção?"

    Vejam o texto na íntegra:
    http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/097/pensando_bem/amor-racional-598418.shtml

    ResponderEliminar
  5. Ahhh, o brilho nos olhos é sempre indispensável!
    E olhe que acredito em amor duradouro, eterno até! Mas tem que ter sempre o brilho nos olhos. Quando ele se apaga, penso que é hora de repensar...
    Outra coisa que achei muito bacana no texto, logo no início, é quando você diz que o amigo é meio ausente, mas muito boa gente. Compreensível isso, né? Normal gostarmos muitos das pessoas e estarmos por aí cuidandos das nossas vidas. Amigos não precisam viver grudados, mas, quando se encontram, é sempre uma festa, há sempre amor a trocar.
    Muito bom!!!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  6. Queridas e queridos,
    adoro ler os comentários. É muito bom! Sempre levo comigo alguma coisa!

    Dessa vez, em especial o da Lili... E ainda com o endereço do texto na íntegra! Muito bom! Obrigada pela contribuição.

    Obrigada todos vocês!

    Um cheiro,

    ResponderEliminar
  7. Oi linda amei seu blog ta lindo já estou seguindo viu, já te adicionei ate nos meus favoritos, faz uma visitinha no meu acho que vc vai gostar todo dia tem novidade ai se você gostar me segue também ta, beijão simara te aguardo lá .
    http://plantaodabeleza.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Gente, um adendo ao post, feito pelo meu querido e admirável amigo e fonte de inspiração:

    "Meu amigo tinha falado a mesma coisa
    que vc falou. Logo, duas pessoas queridas dizendo a mesma coisa sobre mim, algo estava errado mesmo".

    Legal, né? Reforça que conversar e ouvir os amigos às vezes ajuda!

    Agora só posso desejar muito boa sorte nessa nova fase para ele! E uma beijoca!

    Um cheiro para todos!!!

    ResponderEliminar
  9. É difícil terminar um relacionamento. Mas é preciso achar o caminho de cada um e procurar ser feliz. Lembrando que felicidade e tristeza não duram para sempre.

    Irma

    ResponderEliminar
  10. Oi, Zoe!
    Estou adorando seus posts...
    Tenho me identificado com muita coisa por aqui!
    Esse foi mais um deles, estou que nem seu amigo!
    Na verdade, cansei desses relacionamentos mais ou menos e agora só quero me envolver se for para meu olhinho brilhar! =)
    É difícil ficar sozinha, confesso!
    Mas é preferível assim...
    Assim não faço ninguém perder seu tempo comigo a menos que seja para valer!
    Beijinhosssss

    ResponderEliminar
  11. Estava precisando ler isto hoje! Obrigada, Zoe! E Lili tb!
    Beijocas!

    ResponderEliminar
  12. Tanta gente esquece o que é melhor para si em prol de costumes. A gente se acostuma a uma realidade e mesmo que aquilo não nos preencha mais, ficamos ali parados no tempo!

    Seu amigo foi muito corajoso, ainda mais nos dias atuais em que nos cobram tanto por tantas coisas!

    Muito bacana o texto, adoro passar por aqui!

    Beijão

    ResponderEliminar
  13. Oi Zoe!
    Seu amigo tem sorte em ter amigos tão sensíveis capazes de dizer as coisas certas na hora certa.
    O lance do olhar foi certeiro.
    Sem brilho no olhar, não rola.
    Fico feliz pelo insight do seu amigo.

    Bj
    ;)

    ResponderEliminar
  14. adorei seu blog e estou num dilema meio parecido!
    valeu

    ResponderEliminar
  15. SENSACIONAL.....ja passei por isso e deixei meu amor voar, ser livre, VIVER!!!(demorei 8 anos) mas foi a maior prova de amor que poderia ter dado a ela, pois eu não me sentia 100% feliz; Mas será que alguém é feliz em todo os sentidos com outra pessoa? será que eu irei me arrepender um dia? será que vou amar alguém? o que é o amor? O Brilho no olhar dura para sempre?

    obs: homens tem certos conflitos internos e não é falta de sensibilidade, mas não tenho essa resposta também!

    Beijo, Bruninho!

    ResponderEliminar