segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Mulheres e a Religião...



Eu sou uma pessoa muito espiritualizada, o que diferencio totalmente de ter religião! Não tenho! Nenhuma. E acho TODAS extremamente MACHISTAS, a não se a Bruxaria (que não tenho muito conhecimento específico).

Zoe e Irma tiram "umas" com a minha cara pois rezo tanto quanto falo palavrão! Adoro um palavrãozinho...., nossos seguidores já devem ter percebido, mas também rezo dois terços todos os dias de manhã durante meus "momentos Johnny" (caminhadas). Rezar me centra e me faz bem, me põe em contato com meu melhor, com minha fonte da amor puro.

Como fui criada cristã e creio na espiritualidade do cristianismo, rezo terços! Poderia também dizer mantras ou meditar. Para mim o importante é a conexão com o mundo espiritual e o amor. A divindade, na minha opinião, está em todos nós e vem em forma de puro amor. Por isso questiono sempre o gênero de Deus, se Deus não é na verdade Deusa, ou seja, o Divino Feminino! Muito provavelmente é irrelevante essa questão para Deus ou Deusa, mas assumí-lo masculino é tão perigoso quanto assumí-lo feminino quando em detrimento do outro gênero! E neste caso há obviamente detrimento do gênero feminino!

E uma coisa é certa: NADA PODE SER MAIS REPRESSOR ÀS MULHERES DO QUE AS RELIGIÕES ESPALHADAS POR AÍ!!!! Todas absolutamente fazem uma diferenciação profunda entre a Santa e a Puta, como se todas nós mulheres só pudéssemos ser qualificadas entre uma ou outra. Sem citar que de certa forma a "CULPA" de tudo é sempre nossa!

Antes dos obeliscos serem erguidos como simbologia do poder do pênis as deusas eram as gordinhas simbolizando a fertilidade, grandes seios, grandes quadriz, grandes barrigas, abundância e sexualidade.  A maternidade e a procriação intimamente relacionadas ao feminino era o reflexo do poder da divindade e assim sendo o sexo intimamente conectado ao amor e à procriação!

E aos homens cabia o papel fundamental de fecundar! A fecundação e o amor unidos!

A mim me parece bem melhor que as religiões atuais! Apenas uma reflexão.... Pense a respeito antes de aceitar e assumir ideologias que foram pensadas como poder de manipulação através da culpa e da repressão! Pensar sempre vale a pena!

beijocas,

Mari

14 comentários:

  1. Pois é, Mari. Vc sabe que tenho problemas com dogmas. Não tenho religião e isso me faz um bem danado. Não ter que seguir conceitos e dogmas pre-estabelecidos. Minha religião é o PESSOÍSMO. Acredito nas pessoas de bem e nas boas energias.

    Beijos

    Irma

    ResponderEliminar
  2. Oii concordo com vc.. não tenhpo nenhuma religião e sou feliz assim, acredito muito mais no amor ao próximo e na solidariedade do que no seguir regras impostas pelas religioes... afinal do que adianta a pessoas ter uma religiao e não fazer o bem a quem precisa? acredito também no pessoísmo!!

    beijão e no blog tá rolando sorteio, passsa lá p/ participar tá!!
    www.sermulhereomaximo.com.br

    ResponderEliminar
  3. Mari, querida!
    Também me considero extremamente espiritualizada. Sou movida a fé! Na vida, no amor, nas pessoas de bem, nas boas energias, no Deus de todas as religiões...
    Adorei seu texto!
    Tem um carinho para você lá no meu blog!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  4. O que importa, Mari, é a consciente escolha que cada um faz! E não importa o lugar, o templo, os dogmas... Não! Onde quer que seja permitida a paz, o encontro consigo mesmo, a esperança no ser humano, a generosidade e o amor liberto de condicionantes imbecilóides, aí habita o Divino Espirito de Deus! Isso basta!

    ResponderEliminar
  5. Tal como Estado, as religiões, em geral, trabalham com esses dois instrumentos: culpa e repressão.

    E o papel da mulher tornou-se secundário no mundo ocidental graças ao cristianismo e ao islamismo que levaram consigo as sementes patriarcais do judaismp, uma religião extremamente patriarcalista.

    Mas há uma coisa que nunca me entra na cabeça: porque as pessoas sempre tratam a paz como um tesouro? Paz é um conceito. Não existe "paz" na natureza. Ela é puro caos e conflito.

    O conflito gera a chuva e sem chuva não haveria vida. O conflito gera a renovação da natureza e sem a renovação da vida ela se extinguiria. O conflito é que permite aos animais se alimentarem e, mesmo entre os homens, é em época de crise e conflitos que se observam os saltos de tecnologia, de otimização de resultados e renovação de métodos.

    Mesmo Jesus (para os cristãos) deixou a mensagem de que ele veio ao mundo não para trazer a paz mas a espada, veio para semear o conflito entre pais e filhos porque é o conflito que permite a reflexão e o crescimento, não a paz.

    ResponderEliminar
  6. Fecho com a Irma, ela sintetizou tudo o que penso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Eu já fui como você, de rezar terços, apesar de não ser católica (mas estudei em um colégio católico); o terço é uma espécie de mantra e orações desse tipo estão presentes em várias religiões. Pela repetição, pode-se relaxar e entrar em um estado de atividade mental mais baixa o que, supostamente, nos conecta com o universo e o divino. Existiu sempre um interesse econômico por trás da repressão feminina pois quanto mais filhos menor será a herança para cada um deles. Além disso, como fisicamente mais forte, o homem domina a mulher para poder ter o controle porque, no fundo, sabe que a capacidade de análise feminina é superior. Felizmente, estamos vendo essa realidade mudar e há uma maior valorização da mulher, inclusive na religião, o que não deixa de ser paradoxal, pois o próprio Jesus manifestou-se a uma mulher na ressureição, provando que não há predileção divina por um ou outro sexo.
    Excelente texto!
    Bj
    Adri

    ResponderEliminar
  8. oie, vim retribuir sua visita e agradecer por me seguir. sepre que puder estarei aqui. seu blog é otimo. amei essa materia sobre religão, sou formada em teologia pq sempre tive muitas curiosidades sobre religão, sou católica não praticamente, respeito todas, tenho meu ponto de vista proprio, e como fala a materia espiritualidade não tem nada a ver com religião. todos nós independente de religão temos que desenvolver nossa espiritualidade e fazer com ela se eleve a cada dia. otimo dia . bjs

    ResponderEliminar
  9. Querida Mari,

    A culpa é algo que me acompanha desde criança... é aquela que a minha mãe me ensinou, que a mãe dela ensinou a ela... As mulheres malvadas e a vida cheia de Dogmas que o Padre da paróquia "condenou"...

    Encontrar o meio termo entre a Santa e a Puta, é ter que lutar contra tudo aquilo que já a fizeram engolir um dia...

    Muito pertinente seu post... adorei!!!

    bjo bjo

    ResponderEliminar
  10. Uma vez, numa entrevista, a Sara Oliveira, ex-VJ da MTV, me disse que o marido dela tem como religião "fazer o bem". Achei tão simples e tão perfeito....

    De fato, no fim das contas, o importante é espalhar boas energias por aí.

    Vamos tentando, né?

    Beijão,

    Bela - A Divorciada

    ResponderEliminar
  11. Queridas e queridos,
    concordo muito com o A.Marcos e também com a Mari quando diz que a divindade está em todos nós e vem em forma de puro amor.
    Infelizmente a religião é usada para reprimir as mulheres... ainda vai levar muito tempo até o mundo (ou pelo menos grande parte dele) compreender que somos tomos seres vivos. Que o gênero só colabora para a procriação e evoluçao. nada mais. Todos merecemos respeito. Se tivermos isso como base, o resto vem junto. Inclusive a tal paz, quase utópica!

    um cheiro,
    Zoe

    ResponderEliminar
  12. A Adri falou que:"sabe que a capacidade de análise feminina é superior". Discordo. Existem mulheres que possuem capacidade de análise superior a muitos homens e também homens que possuem capacidade superior à muitas mulheres. Somos indivíduos antes de tudo, as generalizações tendem aos preconceitos.

    ResponderEliminar